quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Como determinar a idade de um cão

.
Como saber se seu cão está velho?

Muitas vezes, é difícil determinar a idade de um cão. Para o próprio dono pode parecer que o cão não envelhece, dado o alto grau de convivência com o homem. Um veterinário experiente pode detectar as condições de idade global de um cão baseando-se em testes e em sua experiência profissional. Mas nem sempre o dono consegue o mesmo. Sobretudo com cães de pequeno porte.

Ocorre que muitas vezes pela proximidade, o dono do cão não consegue distinguir os sinais sutis de envelhecimento no animal, só notando quando ele está bastante debilitado, praticamente com a “pata na cova”.

Os primeiros sinais são os pêlos dos focinhos, que vão clareando. Além disso, outros sinais vão aparecendo, exigindo maior acompanhamento do médico, medicamentos e alimentos especiais. Além da pelagem do focinho, surge a surdez, e com ela, a conseqüente mudança de comportamento do animal. Igonora comandos, parece desobedecê-los deliberadamente, fica mais preguiçoso e tem dificuldade de atender aos chamados. Freqüentemente desafia o dono, experimentando agir de modo pouco convencional como querendo dizer “sou velho, tenho meus privilégios”. Torna-se mais exigente, mas fica tolerante em relação a animais mais jovens e não entra em disputas. Muitos se isolam, passando longo tempo desatento à vida em torno dele. Na medida em que a velhice vai se tornando crítica, o animal passa a defecar e a urinar em qualquer lugar, demonstrando um certo constrangimento pelo que acontece, mas perde o controle de suas funções orgânicas. Então surgem os estágios finais, à cegueira, à imobilidade e à falência total dos órgãos e finalmente à morte.

O cão rafeiro vive mais.

Segundo o especialista em cães, Vet. Kenji Irio, de 51 anos, quanto mais pura é a raça do animal, mais frágil é a sua condição de vida. Os animais “SRD” (Sem Raça De- finida) ou mais comumente, os “Vira Latas” são mais resistentes, possivelmente pela capacidade que devem ter para superar as adversidades da vida.- “É a seleção natural das espécies atuando” diz o veterinário. Segundo Kenji, a vida dos animais vem aumentando graças a melhores condições, como medicamentos e rações de qualidade.
Kenji lembra que quando surgiram as rações, há cerca de 25 anos, a vida ficou mais fácil. Os cães e gatos, recebendo alimentos balanceados, começaram a ter melhor qualidade de vida e uma vida mais longa e saudável.

Cães maiores vivem menos
Para Dr. Kenji, o tempo de vida de um animal varia conforme a raça. Segundo ele, os animais maiores tendem a ter uma vida menor: “um dinamarquês, por exemplo, diz o veterano profissional, aos quatro anos já está debilitado, dando os primeiros sinais da velhice!”.
Geriatria veterinária
A geriatria veterinária é um ramo bastante recente da ciência veterinária. No Brasil ela é uma especialidade ainda sem grandes expoentes, mas já é assunto corriqueiro nos seminários que enfocam os principais aspectos do envelhecimento e já se encontram pós-graduandos dedicados aos diversos temas que envolvem a especialidade.
Do mesmo jeito que os humanos, os cães merecem uma vida feliz e saudável. Até o fim.

Como determinar a idade do seu cão?
.

03 meses ………………………………………. 05 anos
06 meses……………………………………….. 10 anos
01 ano……………………………………………. 15 anos
02 anos………………………………………….. 24 anos
03 anos………………………………………….. 28 anos
05 anos………………………………………….. 36 anos
06 anos………………………………………….. 40 anos
07 anos………………………………………….. 44 anos
08 anos………………………………………….. 48 anos
09 anos………………………………………….. 52 anos
10 anos………………………………………….. 56 anos
12 anos………………………………………….. 64 anos
14 anos………………………………………….. 72 anos
16 anos………………………………………….. 81 anos
18 anos………………………………………….. 91 anos
20 anos…………………………………………. 101 anos

2 comentários:

PSousa*Bancada Directa* disse...

Olá Amiguinha,

este artigo é muito interessante e curioso, pois mostra que os animais precisam de as mesmas atenções que nós, e ainda mais na velhice...

Bjinho Amiga

Fresquinha disse...

Olá amigo Onaírda,

Eu diria que precisam de mais atenções que nós porque não são autónomos. E são seres vivos, com consciência e inteligência afectiva.
É triste ver o tratamento que uma raça mais evoluída dá às mais desfavorecidas. E aprenderemos todos quando trocarmos de lugar ...
UM beijo
Leonor