quarta-feira, 11 de junho de 2008

Hoje n' "A Mulher do Próximo"


2 comentários:

Xara disse...

Eu já conhecia este poema mas traduzido,o original claro que é melhor.
O autor tem razão,quem muda de cor nas diversas situações é a raça ariana,está muito bem observado!

Fresquinha disse...

É um poema escrito por um miúdinho africano o que valoriza ainda mais. :-)