quinta-feira, 17 de julho de 2008

O Ossário de Crânios Pintados de Hallstat


Localizado na pequena aldeia Austríaca de Halstatt, o Ossário de Crânios pintados é uma das mais bizarras atracções turísticas em todo o mundo.
Halstatt é conhecida como o mais antigo assentamento humano contínuo, com descobertas arqueológicas que remontam a 5000 aC. Situado entre montanhas e um lago, é um dos mais belos resorts de montanha à face da Terra, embora os turistas não venham aqui apenas pelas paisagens deslumbrantes, mas para visitar algo bastante perturbador, uma cripta cheia com crânios humanos.
O Ossário de Crânios Pintados de Halstatt foi construído no século XXII, quando a aldeia se expandia e a população excedia 3000 almas e não havia mais espaço no cemitério. Por isso as autoridades tinham de chegar a algum tipo de solução. Decidiram "alugar" sepulturas, por cerca de 10-15 anos até serem removidas as ossadas, a fim de dar espaço a outros cadáveres. O crânio era, então, limpo e exposto ao sol e à luz da lua por semanas, até que se tornásse imaculadamente branco, antes de ser colocado no seu lugar de descanso final, o ossário.
A tradição da pintura dos crânios começou em 1790, quando os membros da família dos falecidos começaram a pintar flores e corôas de flores, porque, não podiam mais decorar os túmulos com flôres. Alguns dos crânios também têm pintado o nome do falecido, as datas de nascimento e de morte e uma espécie de símbolo representando a causa da morte. Como se pode ver as fotos de algumas das pinturas são realmente lindas, se nos abstrairmos do facto de que são caveiras.
Hoje Halstatt tem menos de 1000 habitantes, e cada um poderia conservar o seu lugar no cemitério, se quisessem, mas desde 1960 as pessoas preferem muitas vezes a cremação. A última vez que um crânio foi colocado no ossário foi em 1997, mas se algum de vocês quiser ter o seu crânio hospedado nesta incomum atracção turística, basta fazer um pedido especial e isso pode ser feito.
.
Traduzido e adaptado daqui.

1 comentário:

Sónia Pessoa disse...

bizarro mesmo...